Healthy Screen Habits for Teens
Hábitos saludables de uso de pantalla en jóvenes
Hábitos saudáveis de uso de eletronicos para jovens

BY CHRISTINA STONE, LCSW
(347) 481-7617
cstonelcsw@gmail.com

Whether or not technology addiction is a diagnosable disorder is still a matter of some debate in the mental health field. However, from the perspective of many parents, the answer is YES, phones and other devices certainly are addictive! In fact, a recent study indicated that on average teens are using their devices nine hours a day. While younger children might not have access to screens without parental approval, it becomes a different ball game when kids are old enough to have their own phones, iPads, and laptops. Monitoring screen time once your children are teens can feel like an endless battle, setting everyone in the family up for conflict and frustration.

Don’t Panic
There’s much that is good about technology. It allows teens to connect with others near and far. They can research assignments and their own interests from the convenience of their bedroom. It can be a fun and pleasurable distraction from the stress and anxiety of adolescence. It is important for parents to be interested in what their teens are doing online. Asking questions is important and comes from a place of caring curiosity. Teenagers will be most open to feedback about their screen use if parents are taking the time to really understand what kids are doing and what they might be gaining from the experience.

Be a Good Role Model
Teenagers are not the only ones struggling to figure out how to have a healthy relationship with technology. Many adults are having the same difficulties. Talk together about these challenges. Be willing to examine the ways in which you might be failing to demonstrate good habits. Involve your teen in establishing some healthy boundaries as a family. What is a good time to shut down screens in the evening? What are the family rules around phone use at the dinner table? How much time online is healthy on a daily basis, and how can you help each other be more self-aware? If you walk the walk, your teenager will be more likely to join you.

Help Maintain Balance
“Everything in moderation” may be cliché but it is a useful idea. When parents find themselves anxious about their teens’ use of screens, it can be helpful to zoom out and take a big picture look at how teens spend their time. In the course of an average week, how much time are kids spending with friends or pursuing interests unrelated to technology? This can often be a reassuring exercise as many teenagers are very involved in real life activities such as sports, socializing, clubs, and work. If you’re not reassured, there are several apps that can be used to help your teen track the amount of time they’re spending online. Involve your child in the process of examining what balance means to them and how screen time compares to time spent on other important endeavors.
Parents desperately want to help their teens develop healthy relationships with technology. It’s important to involve your children in this process and empower them to make healthy decisions. This can require a lot of patience, and some trial and error along the way. Keep in mind that video games and social media are designed to stimulate the brain in ways that feel good, so if your teenager is having difficulty limiting their use, this doesn’t mean they are being bad or lazy. If you suspect that they are overusing screens because of an underlying mental health problem such as anxiety, depression, or attentional issues, then your child may need extra help figuring out healthy coping mechanisms.

A therapist who works with adolescents can be an important support for your teenager, and the entire family.

/span>

Si la adicción a la tecnología es o no un trastorno diagnosticable es aún tema de debate sobre salud mental. Pero desde la perspectiva de muchos padres, la respuesta es SÍ, ¡definitivamente lo es! Un estudio reciente indicó que, en promedio, los adolescentes usan sus dispositivos nueve horas al día. Si bien los más pequeños pueden no tener acceso a las pantallas sin la aprobación de los padres, es distinto cuando ya son mayores y tienen sus propios celulares, iPads y computadoras portátiles. Monitorear el tiempo de uso una vez que ya son adolescentes puede sentirse como una batalla sin fin, poniendo a todos en la familia en conflicto y frustración.

No tengas pánico
Hay mucho de bueno en la tecnología. Esta, permite a los adolescentes conectarse con otras personas cercanas y lejanas. Pueden investigar las tareas y sus propios intereses desde la comodidad de su habitación. Puede ser una distracción divertida y placentera contra el estrés y la ansiedad de la adolescencia. Es importante que los padres estén al tanto de lo que hacen sus hijos en línea. Hacer preguntas es importante y proviene de un lugar de curiosidad solidaria. Los adolescentes estarán más abiertos a recibir comentarios sobre su uso de la pantalla si los padres se toman el tiempo para comprender realmente lo que están haciendo y lo que obtienen de él.

Se un buen modelo a seguir
Los adolescentes no son los únicos que luchan por descubrir cómo tener una relación saludable con la tecnología. Muchos adultos tienen las mismas dificultades. Hablen juntos sobre estos desafíos. Estate dispuesto a examinar las formas en que podrías no demostrar buenos hábitos. Involucra a tu hijo adolescente a establecer algunos límites saludables en la familia. ¿Cuál es un buen momento para apagar las pantallas por la noche? ¿Cuáles son las reglas familiares sobre el uso del teléfono en la mesa? ¿Cuánto tiempo en línea es saludable diariamente y cómo pueden ayudarse mutuamente a ser más conscientes de sí mismos? Si caminas, es más probable que tu adolescente se una a ti.

Ayuda a mantener el equilibrio
“Todo con moderación” puede ser cliché, pero es una idea útil. Cuando los padres se sienten ansiosos por el uso que hacen sus adolescentes de las pantallas, puede ser útil alejarse y tener una visión general de cómo los adolescentes pasan su tiempo. En el transcurso de una semana promedio, ¿cuánto tiempo pasan con amigos o persiguen intereses no relacionados con la tecnología? Esto a menudo puede ser un ejercicio tranquilizador ya que muchos adolescentes están muy involucrados en actividades de la vida real como deportes, socialización, clubes y trabajo. Si no estás tranquilo, hay varias aplicaciones que pueden usarse para ayudar a tu hijo a rastrear la cantidad de tiempo que pasan en línea. Involúcralos en el proceso de examinar qué significa el equilibrio para ellos y cómo su tiempo frente a la pantalla puede ser proporcional al tiempo dedicado a otros esfuerzos importantes.

Los padres desean desesperadamente ayudar a sus hijos adolescentes a desarrollar relaciones saludables con la tecnología. Es importante involucrarlos en este proceso y capacitarlos para tomar decisiones saludables. Esto puede requerir mucha paciencia y algo de prueba y error en el camino. Tenga en cuenta que los videojuegos y las redes sociales están diseñados para estimular el cerebro de manera que se sienta bien, por lo que, si su hijo tiene dificultades para limitar su uso, esto no significa que sea malo o perezoso. Si sospecha que están utilizando pantallas en exceso debido a un problema de salud mental subyacente, como ansiedad, depresión o problemas de atención, entonces pueden necesitar ayuda adicional para descubrir mecanismos de afrontamiento saludables. Un terapeuta que trabaja con adolescentes puede ser un apoyo importante para su adolescente y para toda la familia.

Se o vício em tecnologia é ou não um distúrbio diagnosticável ainda é uma questão de debate em saúde mental. Mas, na perspectiva de muitos pais, a resposta é definitiament SIM! Um estudo recente indicou que, em média, os adolescentes usam seus dispositivos nove horas por dia. Embora os pequenos possam não ter acesso às telas sem a aprovação dos pais, é diferente quando são mais velhos e têm seus próprios telefones, iPads e laptops. O monitoramento do tempo de uso para os adolescentes pode parecer uma batalha sem fim, colocando todos na família em conflito e trazendo frustração.

Não entre em pânico
Há muita coisa boa em tecnologia. Ela permite que os adolescentes se conectem com outras pessoas próximas e distantes. Eles podem investigar as tarefas e seus próprios interesses no conforto do seu quarto. Ela pode ser uma distração divertida e agradável do estresse e da ansiedade da adolescência. É importante que os pais estejam cientes de o que seus filhos fazem online. Fazer perguntas é importante e demonstra uma curiosidade de quem se importa. Os adolescentes estarão mais abertos a receber comentários sobre o uso de seus dispositivos se os pais dedicarem um tempo para realmente entender o que estão fazendo e o que recebem com isso.

Seja um bom modelo
Os adolescentes não são os únicos que lutam para descobrir como ter um relacionamento saudável com a tecnologia. Muitos adultos têm as mesmas dificuldades. Converse sobre esses desafios. Esteja disposto(a) a examinar maneiras pelas quais você pode não demonstrar bons hábitos. Envolva o adolescente para estabelecer alguns limites saudáveis na família. Qual é o melhor momento para desligar as telas à noite? Quais são as regras da família sobre o uso do telefone à mesa? Quanto tempo on-line é saudável diariamente e como eles podem se conscientizar? Se você estabelecer e seguir regras, é mais provável que seu filho se também o faça.

Ajude a manter o equilíbrio
“Tudo com moderação” pode ser clichê, mas é uma ideia útil. Quando os pais se sentem ansiosos com o uso de dispositivos eletronicos por seus filhos adolescentes, pode ser útil examinar e ter uma visão geral de como os adolescentes passam o tempo. Ao longo de uma semana média, quanto tempo você gasta com amigos ou busca interesses não relacionados à tecnologia? Muitas vezes, isso pode ser um exercício tranquilizador, pois muitos adolescentes estão muito envolvidos em atividades da vida real, como esportes, socialização, clubes e trabalho. Se você não estiver confortável, existem vários aplicativos que podem ser usados para ajudar seu filho a controlar a quantidade de tempo que passa online. Envolva-os no processo de examinar o que significa equilíbrio para eles e como seu tempo na frente da tela pode ser proporcional ao tempo gasto em outros esforços importantes.

Os pais querem desesperadamente ajudar seus filhos a desenvolver relacionamentos saudáveis com a tecnologia. É importante envolvê-los nesse processo e permitir que eles tomem decisões saudáveis. Isso pode exigir muita paciência e algumas tentativas e erros ao longo do caminho. Lembre-se de que os videogames e as redes sociais são projetados para estimular o cérebro; portanto, se seu filho tiver dificuldade em limitar seu uso, isso não significa que ele seja mau ou preguiçoso. Se você suspeitar que o adolescente está usando telas em excesso devido a um problema de saúde mental subjacente, como ansiedade, depressão ou deficit de atenção, vocês poderao precisar de ajuda adicional para descobrir mecanismos de enfrentamento saudáveis. Um terapeuta que trabalha com adolescentes pode ser um apoio importante para ele e para toda a família.

.

advertisement advertisement advertisement advertisement advertisement advertisement